miilay

" Dai-me, Senhor, a perseverança das ondas do mar, que fazem de cada recuo um ponto de partida, para um novo avanço"Gabriela Mistral, poetisa

Terça-feira, 24 de Março de 2015

Poema

           




Não sei como dizer-te que minha voz te procura

e a atenção começa a florir, quando sucede a noite

esplêndida e vasta.

Não sei o que dizer, quando longamente teus pulsos

se enchem de um brilho precioso

e estremeces como um pensamento chegado. Quando,

iniciado o campo, o centeio imaturo ondula tocado

pelo pressentir de um tempo distante,

e na terra crescida os homens entoam a vindima

— eu não sei como dizer-te que cem ideias,

dentro de mim, te procuram.

 

Quando as folhas da melancolia arrefecem com astros

ao lado do espaço

e o coração é uma semente inventada

em seu escuro fundo e em seu turbilhão de um dia,

tu arrebatas os caminhos da minha solidão

como se toda a casa ardesse pousada na noite.

— E então não sei o que dizer

junto à taça de pedra do teu tão jovem silêncio.

Quando as crianças acordam nas luas espantadas

que às vezes se despenham no meio do tempo

— não sei como dizer-te que a pureza,

dentro de mim, te procura.

 

Durante a primavera inteira aprendo

os trevos, a água sobrenatural, o leve e abstracto

correr do espaço —

e penso que vou dizer algo cheio de razão,

mas quando a sombra cai da curva sôfrega

dos meus lábios, sinto que me faltam

um girassol, uma pedra, uma ave — qualquer

coisa extraordinária.

Porque não sei como dizer-te sem milagres

que dentro de mim é o sol, o fruto,

a criança, a água, o deus, o leite, a mãe,

o amor,

 

que te procuram.


(excerto do poema «Tríptico», publicado em A Colher na Boca, 1961)

   

Herberto Helder

 

006.JPG

 

publicado por miilay às 21:31

4 comentários:

Olá Miilay , já tinha sódades tuas. Gostei muito do excerto do Triptico. .para ser franco não sou muito fã de poesia....então os chamados declamadores parecem que estão a entrar para o crematório.....só havia um que realmente me fazia estar a ouvir poesia praiiii o tampo que fosse....o MÁRIO VIEGAS. Olha, não te chateio mais e não fiques zangada. Tenho ali uma pedra parideira mas é muito pequenina. Beijinho para ti Miilay
Caravaggio a 25 de Março de 2015 às 03:49
Olá! também gostava de ouvir o Mário Viegas. Quanto à pedra parideira tenho uma bem bonita!
Continua a fazer as belas pinturas.
miilay
miilay a 25 de Março de 2015 às 22:31
Uma bela homenagem a este grande poeta que nos deixou!

Beijinhos Miilay
Existe um Olhar a 25 de Março de 2015 às 15:39
Calculei que gostasses.
Obrigada
beijinho
miilay
miilay a 25 de Março de 2015 às 22:32

mais sobre mim

Março 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
15
16
18
19
21
22
23
26
28
29
31

pesquisar

 

comentários recentes

  • boa tarde, sabe dizer-me qual é o outro nome pelo ...
  • Olá miilay
  • parecem as bocas de cães pequeninos, dizíamos nós ...
  • ..e perfume intenso.
  • belas :)
  • Se é para mim recebo-a com muito carinho e amizade...
  • Verdade.Já tenho saudades da ria.Um destes dias......
  • E era bem gira.Olá Miilay feliz 2017.Faz tempo que...
  • Obrigada,Feliz Ano para si e cuidado com o frio,aí...
  • Manu, estou bem, e a fazer os possíveis para não f...

mais comentados

blogs SAPO


Universidade de Aveiro